domingo, 28 de novembro de 2010

Borboletas

E estranhamente ela acordou diferente. Já não mais sentia as borboletas remexerem em seu estômago. Era como se aquilo nunca tivesse realmente existido. A imagem dele já não fazia mais parte de seu pensamento. Quando fechava os olhos já não mais lembrava de todos os momentos que viveram. Começara a se sentir extremamente leve, como se tivesse tirado um enorme peso de suas costas. Sentiu-se livre. Livre como as borboletas que se libertaram de seu estômago.

2 comentários:

Bruna Morini disse...

Olá! Muito bons os textos, gosto muito de ler o que vc posta. Tem presentinho pra ti no meu blog, confere lá.
Beijo!

Bru

Ritchy disse...

adorariia me sentiir assim mesmo ><
parabéns peelo blog !
tá liindo dms *_*
beeijo ;*

Postar um comentário

 
↑Top